Distorção da autopercepção de imagem: esse sou eu mesmo?

A nossa autopercepção de imagem é construída através de crenças que temos ao longo da vida, valores e também se relacionam com as atitudes que tomamos. 

Vemos que na atualidade, a preocupação com a aparência “perfeita” é uma crescente, e o Brasil é um dos países que mais fazem procedimentos estéticos, ficando apenas atrás dos Estados Unidos, segundo um relatório feito pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS). 

Essa busca incessante por um corpo irreal, mas considerado padrão e belo, faz com que aumente a insatisfação pessoal, comprometendo áreas da vida do sujeito como: alimentar, cognitiva, psicossocial, física e autoestima. 

Há indícios de que a relação com a internet, a pressão social e  influências culturais, podem ser fatores que acometem ou influenciam a distorção da percepção de autoimagem, ainda mais em mulheres, podendo gerar transtornos alimentares, baixa autoestima e pensamentos negativos sobre si mesmo, tanto no âmbito estético, quanto em proficiência. 

Padrão de beleza

O termo “padrão de beleza” traz a ideia de algo que é uniforme, mas também é algo subjetivo, pois são características consideradas belas aos olhos de um grupo de pessoas, mas quem é que define exatamente o que é belo para mim e para você? Há quem entenda que o padrão de beleza entra em medidas e peso, e essas características deveriam ser seguidas por outras pessoas, porém temos estaturas diferentes, culturas diferentes, e tentar se enquadrar em algo pré definido é impossível. Há evidências de que na nossa sociedade é considerado o IMC (Índice de Massa Corporal) como o padrão de beleza – considera-se que um corpo belo está abaixo do peso mediante ao IMC. 

O que é ser saudável? 

Para a OMS (Organização Mundial da Saúde), “​​a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. Muitas pessoas confundem ser saudável com ser magro, forte, ser muito produtivo e não ter descanso… porém, não é assim que nosso corpo funciona. 

Bem-estar físico: “ausência de doenças associadas a um bom funcionamento do metabolismo”, e para isso deve-se praticar exercícios físicos e ter uma alimentação balanceada, fazendo com que o corpo se mantenha saudável.

Bem-estar social: acesso à saúde, serviços e bens, assim como deverá ter prazer e liberdade. É conseguir estabelecer interações sociais, se adaptar a situações, pois a interação com outro indivíduo é essencial para a saúde pessoal de cada um. 

Bem-estar mental: quando a pessoa é capaz de utilizar suas habilidades para lidar com o estresse, ser produtivo e “contribuir com sua comunidade”, segundo a OMS. 

Conseguir alinhar esses três importantes marcadores do bem-estar, fará com que haja aumento da autoestima, autocontrole, senso de direção, determinação, produtividade, etc.

Como buscar ajuda?

É importante ir em busca da psicoterapia, para entender a si mesmo, se auto aceitar, e compreender o que ocasionou essa insegurança e distorção de imagem. Há psicólogos clínicos, online e mais de 70 profissionais disponíveis para consultas na plataforma Wilu.

Se você está passando por essa situação, ou conhece pessoas que estejam, busque ajuda, para que não se agrave. 

A Wilu está à disposição para te ajudar, ou ajudar quem você conhece, a sair dessa.

Mais posts