TDAH: O que é, sintomas e como é feito o diagnóstico

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, mais conhecido como TDAH, é um distúrbio neurobiológico que afeta a capacidade de uma pessoa em se concentrar, controlar impulsos e regular o seu nível de atividade. É um transtorno comum, que pode ocorrer tanto em crianças quanto em adultos, e pode causar dificuldades significativas em diversas áreas da vida. Neste artigo, vamos explorar o que é o TDAH, os sintomas associados a ele, as possíveis causas e como é feito o diagnóstico.

O que é o TDAH?

O TDAH é um transtorno caracterizado por três principais sintomas: déficit de atenção, hiperatividade e impulsividade. No entanto, é importante destacar que nem todas as pessoas com TDAH apresentam os mesmos sintomas, e eles podem variar em intensidade e frequência.

Tipos de TDAH

Existem três tipos de TDAH, de acordo com os sintomas predominantes:

  • TDAH Predominantemente Desatento: Neste tipo, o déficit de atenção é o principal sintoma. A pessoa pode apresentar dificuldade em prestar atenção a detalhes, parecer distraída e ter dificuldades em organizar tarefas e atividades.
  • TDAH Predominantemente Hiperativo-Impulsivo: Nesse tipo, a hiperatividade e impulsividade são os sintomas principais.
  • TDAH Combinado: É o tipo mais comum de TDAH, no qual a pessoa apresenta uma combinação de sintomas de déficit de atenção, hiperatividade e impulsividade.

Quais são os sintomas de TDAH?

Os sintomas do TDAH podem variar dependendo da idade da pessoa e do tipo de TDAH que ela possui.

1. Sintomas em crianças:

  • Dificuldade em prestar atenção a detalhes ou cometer erros por descuido;
  • Dificuldade em manter o foco em tarefas ou atividades;
  • Parecer não ouvir quando lhe dirigem a palavra diretamente;
  • Dificuldade em seguir instruções e completar tarefas;
  • Desorganização e dificuldade em manter-se organizado;
  • Esquecimento frequente;
  • Inquietude e dificuldade em ficar parado;
  • Falar excessivamente;
  • Interromper os outros com frequência;
  • Dificuldade em esperar a sua vez.

2. Sintomas em adultos:

  • Dificuldade em manter o foco e se concentrar em tarefas;
  • Desorganização e problemas em gerenciar o tempo;
  • Dificuldade em completar tarefas no prazo;
  • Dificuldade em seguir instruções e planejar atividades;
  • Impulsividade e dificuldade em controlar os impulsos;
  • Sensação de inquietação e dificuldade em relaxar;
  • Dificuldade em lidar com o estresse;
  • Problemas de relacionamento e dificuldade em manter empregos estáveis.

Quais são as causas do TDAH?

As causas exatas do TDAH não são completamente compreendidas, mas há evidências de que fatores genéticos e ambientais desempenham um papel importante no seu desenvolvimento. Estudos sugerem que o TDAH pode ser causado por uma combinação de fatores, como anormalidades no funcionamento do cérebro, desequilíbrios químicos, história familiar de TDAH, exposição a toxinas durante a gestação e prematuridade.

Qual o tratamento indicado?

O tratamento do TDAH geralmente envolve uma abordagem multidisciplinar, que pode incluir terapia comportamental, intervenções educacionais e, em alguns casos, o uso de medicamentos. A terapia comportamental pode ajudar a pessoa a desenvolver habilidades de organização, gerenciamento de tempo e controle de impulsos. Intervenções educacionais, como adaptações no ambiente escolar, podem facilitar a aprendizagem e o desempenho acadêmico. Os medicamentos, como estimulantes e não estimulantes, podem ser prescritos para ajudar a controlar os sintomas do TDAH.

Como acontece o Diagnóstico?

O diagnóstico do TDAH é complexo e requer uma avaliação abrangente por profissionais de saúde qualificados, como médicos psiquiatras ou psicólogos. O processo de diagnóstico geralmente envolve entrevistas com o paciente e seus familiares, avaliação do histórico médico e comportamental, além de observações diretas do comportamento. É importante descartar outras condições médicas ou psicológicas que possam estar contribuindo para os sintomas apresentados. O diagnóstico do TDAH também leva em consideração critérios estabelecidos por manuais diagnósticos, como o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5).

Durante a avaliação, é necessário avaliar a presença dos sintomas do TDAH em diferentes contextos, como em casa, na escola ou no trabalho. Também é importante considerar a persistência dos sintomas ao longo do tempo e o impacto que eles têm na vida diária da pessoa.

É fundamental envolver pais, cuidadores, professores e outros profissionais que estejam em contato próximo com o indivíduo, pois eles podem fornecer informações valiosas sobre o comportamento e o funcionamento do indivíduo em diferentes ambientes.

É importante lembrar que o diagnóstico do TDAH não deve ser baseado em um único sintoma ou comportamento, mas sim em uma avaliação completa e abrangente dos sintomas, considerando a sua intensidade, frequência e impacto funcional.


Em conclusão, com o diagnóstico e o tratamento adequados, as pessoas com TDAH podem aprender a gerenciar seus sintomas e levar uma vida plena e produtiva. 

A conscientização e o apoio da sociedade são essenciais para criar um ambiente inclusivo e acolhedor para aqueles que vivem com esse transtorno.

Mais posts