A temida Hipnose

Nascida do estudo de médicos, a hipnose sempre foi usada com o intuito de trabalhar a mente humana. Temida pela população devido aos mitos criados, já chegou a ser motivo de acusações por magia e até mesmo bruxaria! Porém, é uma técnica cuja única função é a cura. Ajudando pessoas com diversas questões psicológicas, é uma das terapias mais eficientes quando falamos de um tratamento simples e rápido.

O passado da técnica:

Muito antes de assimilarmos o transe à hipnose, ele já era utilizado em larga escala em rituais medicinais e religiosos pelos povos antigos. Há evidências do seu uso há quase 5.000 anos atrás, na China, Índia, Egito, Grécia e diversos outros países. Porém, com a consolidação do cristianismo europeu, o transe foi quase extinto, onde as pessoas que o praticavam eram consideradas contra a igreja e até mesmo condenadas.

Foi em 1842 quando ouviu-se pela primeira vez o termo hipnotismo, derivado da palavra grega hipno (sono), o cirurgião James Braid acreditava que o transe era, de forma simples, uma indução a esse estado de inércia. Antes disso, já existiam outros nomes famosos que utilizavam desse estado mental para curar enfermidades do ser humano, como Franz Anton Mesmer e sua polêmica técnica de Magnetismo Animal. A mesmerização, como também era chamada, já chegou inclusive a ser proibida em alguns países devido aos métodos não clínicos e pouco aceitos pela medicina da época.

Com uma história conturbada, a hipnose científica começou a ganhar força no século XIX, instigando, inclusive, o grande psicanalista Sigmund Freud, uma das pessoas responsáveis por popularizar a técnica. Entretanto, foi apenas no século seguinte que os estudos passaram a se desenvolver de forma eficiente, quando descobriu-se, ademais, que o procedimento não tinha relação com o sono. A partir desse momento, surge a hipnoterapia, largamente utilizada nas duas grandes guerras para o tratamento de Estresse Pós-Traumático, e posteriormente adotada até pela medicina.

Sobre o transe:

Um importante ponto a ressaltar é que o transe hipnótico não é igual para todos, ou seja, as experiências vivenciadas vão mudar de indivíduo para indivíduo, trazendo muita fluidez à técnica. Podendo ser definida como alteração do estado consciente, a qual permite a observação, avaliação e tratamento de diversos fenômenos neurológicos e subconscientes.

Dividido em fases de intensidade, Insuscetível, Hipnoidal, Transe Leve, Médio e Profundo, Estado Sonambúlico e Êxtase, não são todas as pessoas que atingem os últimos níveis, pouco menos de 10% conseguem chegar no fim da escala.

Muitos esperam sintomas místicos, como sair do corpo e ver coisas, durante o processo, mas vale ressaltar que isso é mito! O transe pode ser assemelhado a um estado de alta concentração. Podemos ter como exemplo quando colocamos algo no microondas e esperamos, o corpo está ali, vendo o tempo diminuir e o prato girar, mas a mente não, geralmente ela começa a viajar em coisas aleatórias e que talvez nem lembrasse depois, podemos dizer que ela entrou em transe.

Sendo assim, podemos desmistificar todo o medo que há sobre esse estado da mente, é muito importante ressaltar que o indivíduo mantém sua consciência e tem o controle do que está acontecendo.

Como funciona a hipnoterapia:

O momento geralmente se inicia com uma conversa, onde o terapeuta busca entender os motivos que levam o paciente à busca do tratamento e logo após inicia-se uma meditação guiada para que haja o relaxamento e o início do transe, é muito importante que a pessoa ceda de forma completa à situação. Além disso, o indivíduo se mantém acordado e com consciência durante todo o processo, não tendo que se preocupar ou sentir medo durante o procedimento. O profissional pode até recomendar alguns exercícios para serem feitos durante a rotina ou em momentos de crise!

A sessão é extremamente relaxante e seus efeitos são cada vez mais intensos à medida que o paciente vai se entregando ao momento. O objetivo é restabelecer o equilíbrio emocional atacando diretamente a causa dos problemas, que fica escondida no subconsciente. Com isso, torna-se um tratamento extremamente rápido e eficiente, com poucas sessões já é possível eliminar as raízes dessas resistências mentais.

É muito importante ressaltar que essa é uma das melhores terapias para lidar com vícios, como fumar e beber, hábitos alimentares e traumas que aconteceram no passado, tudo isso de forma extremamente saudável, pois não faz o uso de remédios ou outras substâncias químicas. Há, inclusive, relatos de pacientes que conseguiram parar com o fumo em apenas uma única sessão de hipnose!

Artigo publicado com apoio do terapeuta Wilu, Dragos Cristian Rosu.

Mais posts